21/07/2014


"Longe" ganhou uma resenha muito bacana lá site das Garatujas Fantásticas. Obrigada, Tati Arcolini!

17/07/2014

mosca

  se o pensamento
não quer saber de
                 pensar
não adianta forçar

às vezes o pensamento
     quer passear por aí
                          arejar
pensamento sabe voar  

e que zanze feito mosca
e paire em cima da rosca
e circule em volta da louça
e imite o andar da moça

e vai que, assim, moscando à toa
o pensamento se enrosca
em alguma ideia boa?

11/07/2014

era uma vez outra Cinderela

… e a história termina assim:

A festa de casamento foi magnífica e os primeiros dias no castelo pareciam um sonho. Tanto que a princesa precisava se beliscar a todo instante para ter certeza de que não estava delirando. Mesmo assim, depois que anoitecia, Cinderela ia entrando em pânico, com medo de que tudo se desmanchasse por encanto, à meia-noite. Como não via a hora de ser feliz para sempre, o príncipe ordenou que todos os relógios do reino fossem destruídos. Nunca mais se ouviu nenhuma badalada e, aos poucos, a princesa sossegou. Mas não muito. Acontece que o Tempo é poderoso e não para nem mesmo sob as ordens de um príncipe. Ao final de cada dia, continuava escurecendo e, perto da hora H, o coração da princesa disparava como um alarme. Então o casal pensou e pensou até descobrir um outro jeito pra continuar sendo feliz: todas as noites, ouvindo o tic-tac do coração da Cinderela, eles trocam juras de amor eterno até a meia-noite seguinte. 
Por enquanto, está dando certo. 

01/07/2014

dois

o mesmo vento
envolve
dois pensamentos

a mesma tarde quieta
acolhe
duas bicicletas

no mesmo segundo
giram
dois mundos

e a ilustração é da Maria Eugenia.

26/06/2014

os nomes das coisas

sol é palavra que brilha
solidão é a palavra ilha

música é palavra que canta
segredo é palavra que não conta

estripulia é palavra que pula
imaginação é palavra que fabula

é como se tivesse olhos
boca, ouvidos e nariz

cada palavra
dá um rosto
a tudo que se diz

18/06/2014

esboços

Meu nome é Preto Pretinho Tom Domenico Xavier Ogato Péricles-da-Silvia.
Não costumo me apresentar assim e nunca fui chamado desse jeito, quer dizer, com tudo junto ao mesmo tempo. Mas já que resolvi escrever um livro sobre as minhas sete vidas vocês precisam saber que tenho – ou melhor: tive -- todos esses nomes. Um de cada vez, claro.
Fora os apelidos. Pipo, por exemplo, virou uma espécie de sobrenome na época em que me chamavam de Ogato. Já o detestável Ronrom praticamente substituía o nome oficial da quinta vida: “XAVIER” só era mencionado (assim mesmo, em voz maiúscula) nas horas mais... Como dizer? Bem... Tensas. Em compensação, também tive o prazer de ser tratado por Dom na maior parte do tempo em que me batizaram de Domenico. Dom é adorável, não acham? Simplesinho e, ao mesmo tempo, tão elegante! Cá entre nós, se tivessem pedido a minha opinião, bem que eu gostaria de ter sido sempre e apenas Dom, não só durante a quarta vida, por sinal, uma das melhores (…)

em construção: um "começo de história" e um "estudo de gato" do Daniel Kondo, 

13/06/2014

chegou!

A ilustração de Maria Wernicke não só renovou o meu "Longe" como ampliou a narrativa no seu melhor tom. Estou feliz demais com essa parceria e com a edição primorosa da Salamadra.

11/06/2014

na cabeceira

"As palavras são objetos magros incapazes de conter o mundo."

Amando todas as palavras do último livro de Valter Hugo Mãe ("A Desumanização").

06/06/2014

gota de chuva

   dia cinza
      tinge    
      tudo
        de
     triste
   a xícara
  as ideias
   a gente
     nada
    resiste

29/05/2014

manhã

a árvore acordou arrepiada
sacudindo a coberta-garoa de pingo fininho
logo levou uma lambida de vento frio
anunciando o dia sem visita de passarinho
mesmo assim espreguiçou os galhos
balançou as folhas e não se encolheu
feliz de ser árvore, sorriu para o inverno
e amanheceu

24/05/2014

e já que o friozinho chegou...

     preste atenção no seu arrepio:
se o pelo do braço eriçar de repente
coloque um casaquinho bem quente

mas se o arrepio não desaparecer...
           (e o que pode ser?)
     é melhor começar a correr!

será assombração ou só o vento gelado?
                 (na dúvida, corra!) 
daí você logo esquenta e o pelo assenta
     desarrepia e espanta até o diabo

22/05/2014

dia feliz

Acabo de saber que o "Como Começa"vai ser publicado na Suécia, pela Opal Bokforlaget, e na Turquia, pela Yapi Kredi Yayinlari. Alegria, alegria!

21/05/2014

uma história de amor


o brinco se pendurou na orelha
e deu um abraço bem apertado
a coitada ficou até vermelha
com aquele carinho inesperado

não fique aflita, cochichou o brinco,
garanto que, comigo,
você fica ainda mais bonita!

então o tempo foi passando
e ela se acostumou a ter companhia
toda noite se despedia do namorado
esperando o seu abraço no outro dia

até que, certa manhã, o brinco não apareceu
e a orelha ouviu alguém dizer:
que pena, acho que ele se perdeu!

depois disso vieram muitos outros,
redondos, compridos, ovais
mas abraço como o daquele brinco
pobre orelha, nunca mais!

13/05/2014

era uma vez um gato (1)

(…) e as coisas continuaram embaçadas durante algum tempo. Confesso que não lembro de quase nada dessa época, dias e noites eram só aquele empurra-empurra, disputando o leite e o melhor lugar no colo quentinho de mamãe. Pouco a pouco, porém, meu espírito independente começou a se manifestar – assim que consegui me erguer sobre minhas quatro patas, comecei a explorar o mundo além da nossa casa-caixa. Fui o primeiro a me atrever pela superfície lisa e geladinha do lugar onde estávamos. É verdade que, no início, dei umas desequilibradas, mas logo peguei a manha da coisa e, cautelosamente, fui vasculhando canto por canto daquele espaço enorme. Avançava um bocadinho mais cada vez que saía de perto de mamãe, experimentando novos movimentos, descobrindo cheiros e sons diferentes, que faziam minhas orelhas empinarem por conta própria e minha cabeça girar ora pra cima, ora pra trás, de um lado, do outro, já atento e curioso, como eu continuaria sendo ao longo das minhas sete vidas.

08/05/2014

trecho

De uma história que está começando: 

(…) Não sei durante quanto tempo acreditei que esperança fosse um objeto que a gente podia guardar num armário e perder por aí, como um guarda-chuva. Ou quase: mesmo na minha imaginação de criança, a esperança já parecia bem mais valiosa, porque minha mãe vivia perdendo guarda-chuvas, mas nunca se chateava tanto por isso (…)  Anos depois, descobri que a esperança nem é tão diferente assim de um guarda-chuva: e o que mais pra nos proteger e ajudar a seguir em frente durante as tempestades?

04/05/2014

era uma vez dois gatos

Não vejo a hora de ler a minha história passeando pelas ilustrações do Daniel Kondo.

30/04/2014

O lugar das coisas

Foi uma delícia conversar com os pequenos do Colégio Elvira Brandão sobre "O Lugar das Coisas" e aprender mais essa: "olha só como as coisas vão mudando de lugar!".

24/04/2014

De novo, tão novo

dois sonhos:
ter um livro ilustrado pela maravilhosa Maria Wernicke
e levar um texto antigo para uma casa nova

uma enorme felicidade:
"Longe", de novo, e tão novo nos traços delicados da querida Maria, saindo em maio, pela Salamandra.