17/10/2014

que legal!

Acabo de saber que a versão do "Como Começa?, editado na Suécia pela Opal Bokforlaget, entrou em uma lista de bibliotecas públicas. Viva!

14/10/2014

prece

chove, chuva,
chove sem parar
chega de greve
chova como bem desejar
com barulho de trovão
com raiva de granizo
ou até quietinha
molhe todas as coisas
com alegria de garoa fininha
chove, chuva
chove sem parar
com música de água
vamos todos dançar

09/10/2014

Aconteceu na Escola

Gilles Eduar, Maria Amália Camargo, Blandina Franco, Índigo e eu nunca estudamos juntos, mas tivemos a sorte de partilhar histórias deliciosas em "Aconteceu na Escola", livro novo saindo logo, logo, com ilustrações do Rafa Anton e edição caprichada da Globo Livros.

06/10/2014

Reviravento

Às vezes, ele chega de mansinho, diz bom dia pela fresta da janela e assobia no mesmo tom dos passarinhos. Mas quando acorda nervoso, espalha a notícia por toda parte, deixando a árvore crespa, o cabelo despenteado e o pensamento inquieto. Vento é assim: muda a cada momento, mexe e remexe com tudo, até com a imaginação da gente. Porque ele sopra histórias no ar pra todo mundo escutar e também faz as palavras voarem quando quer fazer poesia.


Taí a 4ª capa do "Reviravento"que sai logo, logo, pela Record!

01/10/2014

amor-perfeito

florzinha bonita, que coisa inesperada
que ideia foi essa de aparecer assim do nada?

e eu lá tenho ideia? foi puro acaso!
mas é melhor estar aqui do que num vaso


levei um susto, afinal, sou uma calçada
e, aqui, uma flor acaba sendo pisoteada!

ai, ai, ai, pobre de mim!
por que não nasci num jardim?


e pensar que você saiu de uma rachadura...
quanto tempo será que você dura?

mas que horror! precisa ser tão indelicada?
sou frágil demais e já estou machucada!


florzinha cheirosa, não fique magoada
até que estou gostando de ser enfeitada!

então deixe de ser tão ranzinza
agora você já não é só um piso cinza


florzinha tão linda, você é danada!
conseguiu fazer brotar um coração nesta calçada!

26/09/2014

ver o mundo

Eu vi a lua cheia iluminando a noite sobre o Hyde Park, e um gato chamado Mitsi dormindo entre as máscaras de uma lojinha em Veneza. Vi tantas ruas cheias de gente e também vi dezenas de gôndolas vazias, descansando com seus fantasmas sobre as águas quietas de um canal. Trouxe comigo um monte de sensações e um calendário pra ver as ilustrações de Wolf Erlbruch todos os dias. Ver o mundo é tão bom. Voltar é tão bom.

04/09/2014

viajar

pela janela
contemplo
a vida em movimento
e ronrono:
lá fora e aqui dentro
tudo é sonho

a ilustração é do Daniel Kondo, e eu volto no final do mês.

02/09/2014

belas adormecidas

Todas as lembranças encontram um lugarzinho pra dormir dentro da gente. Algumas adormecem na cabeça, muitas se acomodam no coração, mas não só. Tem lembrança que descansa na língua e vive acordando, basta ser chamada pelo sabor de um doce da infância. Lembrança é assim: desperta por causa de um cheiro, uma música, certas palavras, uma paisagem. Nem todas têm um sono tranquilo --  são lembranças meio inquietas, não conseguem sossegar talvez porque tenham a ver com um passado que não passou de verdade. Mas também existem as que mergulham num sono tão profundo que só espreguiçam quando se cutuca muito. Mesmo assim, continuam sonolentas e embaçadas, confundido a gente com os sonhos que elas estão sonhando.

31/08/2014

sol

o inverno amanheceu sorrindo
vestiu azul e se esquentou
com o abraço do domingo
  

26/08/2014

de uma história que está começando (2)

Tenho doze anos e sempre dou um jeito de ficar doente ou inventar uma desculpa pra não participar das aulas de educação física. Mas hoje o professor não me dispensou e depois do aquecimento me convoca pra fazer parte de um dos times de vôlei. Não tenho chance de dizer que não sei jogar, minha boca trava, a voz desaparece pra sempre. Então ele me chama, do centro da quadra, apontando a posição que devo ocupar, e chama de novo porque não me mexo, na inútil esperança de que alguém se ofereça e me salve do desastre. Enquanto caminho em direção à quadra percebo um grupinho de meninas cochichando e rindo, na mesma hora tenho certeza de que estão falando de mim, por isso abaixo a cabeça e sigo, devagar, suando dentro do uniforme, desconfortável, desajustada, sempre eu. O jogo começa, a bola passa voando por cima da minha cabeça, uma vez, duas, e de novo, o time vai trocando passes como se eu não existisse, e de repente algo acontece, uma coisa por dentro, forte, uma espécie de raiva que me lança pro alto, é só um impulso mas me deixo levar e subo: meu corpo ultrapassa o limite da rede, o braço esticado e minha mão lá em cima, alcançando a bola antes das outras mãos com um toque certeiro, delicado, inesperado: marco um ponto para o time, todos comemoram. Pela primeira vez, aplausos.
(...)

25/08/2014

felicidade


é sair pedalando e parar numa livraria.
...
a ilustração é de Zack Rock via Animalarium.

22/08/2014

o motim

cansado de tanto triturar, o liquidificador para de funcionar e avisa:
-- hoje não tem expediente, estou com dor de dente!
na mesma hora o ferro de engomar desliza pela tábua de passar e decreta: 
-- também vou fazer greve, chega de trabalhar ardendo de febre!
e não é que o aspirador começa a engasgar e aproveita pra entrar na farra? 
-- estou tão entupido de pó que a partir de agora não aspiro nem na marra...
então o fogão abre as suas seis bocas e lança chama na fogueira:
-- já que ninguém quer trabalhar, também vou pifar. Só falta você, geladeira!

porque hoje todos os eletrodomésticos resolveram encrencar...

19/08/2014

de uma história que está começando

Filha, eu estou lendo, e quem quer sorvete é você. É só ir até lá e pedir pro moço! 
Talvez seja meio-dia, o sol é o dono da praia e estou sentada na areia, a dois passos dos pés da minha mãe. Tenho seis anos e tudo o que mais quero é um picolé de chocolate. As três meninas continuam ali, de pé, ao lado do sorveteiro, conversam sem parar, palitos pingando chuva sabor limão, quem sabe abacaxi, na areia quente. Estão hospedadas no mesmo hotel que eu -- já estavam lá quando chegamos. Então não. Pego a pazinha vermelha, cavoco a areia com força e faço um buraco enorme querendo me enterrar com a minha timidez (…).

18/08/2014

dicionário imaginário

--> Ansiedade (s.f.): é o que acontece quando o tic não consegue esperar e quase atropela a vez do tac.

12/08/2014

a dúvida do passarinho

da árvore-poste de cimento
            um passarinho olha
pra moça presa no congestionamento
            dentro do seu carro-gaiola

bem que o passarinho queria perguntar:
              isso é o seu ninho
              ou você tem medo de voar?

* Pra turma da Batatinha do Sesi, de São Bento do Sul, beijo!!!! 

06/08/2014

o passado

no portarretrato: a infância do filho e a presença da mãe: era um domingo e eu não sabia que estava fotografando a saudade.

04/08/2014

bom dia

uma manhã de verão no meio do inverno, um sorriso abrindo com a porta do elevador, uma ideia pra continuar o conto que comecei a escrever: um dia com tudo pra ser bom.

28/07/2014

inverno

é como um toque de recolher: os dias vão embora mais cedo, encolhidos de frio, e a vida lá fora fica mais quieta pedindo pra gente escutar as palavras de dentro.